Psicologia da perda de peso – dicas para uma dieta mais fácil

perda

Introdução

Perder peso é 100 vezes mais fácil se você estiver mentalmente preparado para isso. Isso pode parecer elementar, mas, na minha opinião, a maioria dos dietistas abandonou o plano de emagrecimento não por sentirem fome ou dificuldade com os cardápios, mas por motivos psicológicos. Ou eles ficam entediados ou insatisfeitos com sua taxa de perda de peso, ou sofrem um lapso momentâneo e ficam sobrecarregados de culpa, ou se sentem “privados” demais para continuar. E então, na tentativa de explicar seu fracasso, muitos culpam seu plano de dieta, sua situação doméstica ou sua incapacidade congênita de perder peso. Este processo muitas vezes se repete, como resultado, alguns dieters podem passar anos sem sucesso tentando perder peso, sem nunca perceber a verdadeira causa de sua dificuldade. Aqui estão três problemas psicológicos comuns que encontramos ao tentar reduzir o peso, juntamente com algumas dicas de como superá-los.

Problema 1. Não saber como a perda de peso irá beneficiar você

Quer queiramos perder 20 ou 220 libras, precisamos mudar nossos hábitos alimentares e talvez vários outros hábitos de vida também.quitoplan  Fazer essas mudanças pode não ser difícil no Dia 1 ou na Semana 1 da nossa dieta para perda de peso, porque nosso entusiasmo inicial geralmente nos dá motivação suficiente. Mas, normalmente dentro de 2-3 semanas, o nosso “novo” padrão alimentar começa a interferir com o nosso estilo de vida regular e, a menos que estejamos preparados para isso, o nosso desejo de continuar a dieta começará a desvanecer-se. Em vez de ver nossa dieta como um passaporte para um melhor peso e forma, vemos isso como um obstáculo e um fardo. Torna-se algo que estamos fazendo porque “devemos” e não porque “queremos”. Este é o primeiro grande problema emocional que encontramos quando fazemos dieta.

Para superar esse problema, precisamos saber exatamente por que estamos tentando perder peso. Precisamos de uma ideia clara de como isso nos beneficiará. Porque somente se tivermos um claro benefício a esperar, seremos capazes de resistir à tentação de voltar aos nossos maus hábitos anteriores. Os benefícios gerais de ter uma forma mais enxuta e leve não são poderosos o suficiente. Precisamos de um benefício egoísta e específico – algo que possamos visualizar – que comande nossa atenção. Talvez umas férias de praia, ou uma roupa de sonho para vestir para uma ocasião específica, ou uma nova forma para mostrar no Dia de Ação de Graças. Tudo o que escolhemos, deve fazer um barulho dentro da nossa cabeça! Lembre-se, no momento em que começamos a sentir que “temos que” fazer alguma coisa, ela se torna o inimigo – como pagar impostos ou limpar o porão – e nossa motivação voa pela janela. Para alcançar uma perda de peso duradoura, precisamos “desejar”.

Problema 2. Tentando Ser Perfeito

Durante meus 24 anos ou mais como consultora e nutricionista de perda de peso, conheci cerca de 10.000 dieters pessoalmente e me comuniquei pessoalmente com outros 100.000 pela Internet. Mas até agora eu não conheci um único dieter de sucesso que fosse perfeito. Pelo contrário, a maioria dos meus clientes de sucesso cometeu muitos erros. Eles tiveram dias ruins, semanas ruins – mesmo meses inteiros – durante os quais eles saíram completamente dos trilhos. Mas nada disso os impediu de ter sucesso no final. Por que não? Porque eles aprenderam com seus erros. E não vamos esquecer: a maior parte do nosso autoconhecimento vem dos erros que cometemos, não dos nossos sucessos.

Infelizmente, muitos dieters insistem em tentar ser perfeito. Como resultado, quando eles caem da carroça (como sempre fazem), eles acham impossível tolerar seu “fracasso”, e ficam sobrecarregados pela culpa. Assim, mesmo que seu lapso possa ter sido relativamente trivial (uma farra de fim de semana), eles se despedaçam. Porque, como de costume, é a culpa que causa o dano real, não a compulsão.

A lição é essa. Ao fazer dieta, não perca tempo tentando ser perfeito. Isso só leva ao aumento da culpa e do fracasso. Em vez disso, aceite que você vai cometer erros e não deixe que eles o distraiam quando acontecerem. Veja-os como uma experiência de aprendizado. Por exemplo, se você bebe muito álcool quando janta fora e come demais, não acorde na manhã seguinte em um ataque de depressão. Em vez disso, saboreie sua experiência e aprecie que você fez uma descoberta importante: que o excesso de álcool dificulta a perda de peso. Reagindo assim, você evita a culpa e acha muito mais fácil retornar à sua dieta.

Problema 3. Tratando sua dieta como raça

Outro problema comum diz respeito à velocidade de redução de peso. Muitos dietistas esperam perder peso muito rápido e estão psicologicamente despreparados quando seu corpo se recusa a se comportar dessa maneira. Se uma semana passar sem qualquer redução de peso, elas se tornarão desanimadas e começarão a perder o interesse. Infelizmente, goste ou não, o corpo humano é projetado para a sobrevivência não “aparência”. Por isso, não tem interesse em perder gordura corporal, que vê como uma importante fonte de energia durante períodos de fome. Como resultado, a quantidade máxima de gordura que podemos perder em uma semana é de cerca de 3 quilos, enquanto alguém com menos de 30 quilos acima do peso pode perder cerca de 1 quilo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.